Jean Carlo Emer

Crônica de minha ida para o Front in Aracaju 2014

Há alguns meses recebi o convite para palestrar em um evento no Nordeste. No ano passado, a primeira edição teve uma repercussão muito boa e incluiu até uma pelada de futebol e piscina. O Front in Aracaju desta vez tinha como tema o bom e velho Rock 'n' Roll.

O teaser de divulgação do evento arrebentou logo na chegada. O site nem se fala, sem dúvida um dos mais bem acabados e criativos que a comunidade já viu. O riff de guitarra que toca ao abrir o site é um exemplo de audio muito bem aplicado.

Os dias foram passando e o line-up do evento se formou. Muitos amigos e membros expressivos da comunidade foram convidados para palestrar. Minhas expectativas só aumentavam, o evento tinha tudo para ser muito bom. A organização pediu que eu escolhesse uma música que seria tema da palestra. Um tanto desconfiado, optei por um rock das antigas que gosto muito: Tom Sawyer do Rush.

É chegada a véspera. Dois embarques e dois pousos. Aracaju pela primeira vez. A associação AABB, sede do evento, é um lugar de tirar o fôlego. Chegamos justamente no momento da passagem de som da banda. Na onda da temática do evento, o palco seria dividido por palestrante e músicos. Terreno reconhecido, hora de descansar.

Rock 'n' Code, hora do show! A abertura do evento já teve muita música boa. O primeiro palestrante foi anunciado e o tempo de configuração do computador já foi ocupado pela execução da música escolhida por ele. Na sequência, rolou uma entrevista conduzida pelo Juarez do Caravana Web. Perguntas muito boas e algumas até do tipo saia justa. Se vira nos trinta. Só depois de passadas algumas palestrantes e chegada minha vez foi que pude perceber o quanto o palestrante ficava mais a vontade com a banda e a entrevista. Talvez por isto as palestras tenham fluído tão bem.

Todas as palestras foram muito boas e trouxeram conteúdo relevante. Não houveram excessões. Reinaldo abriu com maestria o evento respondendo a perguntas sobre o W3C Brasil e declarando todo o seu amor pela web. O Felipe mostrou soluções empregadas quando se assume o desafio de construir um portal para milhões de usuários e o Davidson apresentou tudo o que você precisa saber para ser um desenvolvedor front-end completo.

Tivemos também o embaixador brasileiro do EcmaScript6, Jaydson, se reinventando mais uma vez para falar sobre o tema. O Suissa arrancando risadas e ensinando sobre Atomic Design, Pattern Lab e algumas outras teorias. Muito alinhado com o tema do evento, Almir mostrou o caminho a se percorrer para quem quer virar o Jimi Hendrix do audio no front-end. Eu repeti o tema da minha palestra do RSJS, em que falo sobre execução assíncrona de código no JavaScript, com algumas mudanças e fiquei muito contente com o resultado. Acredito que cheguei a uma palestra à altura do assunto. Duas Lightning talks interessantes completaram a grade.

O ponto alto foi a palestra sobre a Tracking.js do Zeno. Ele havia ido apenas para prestigiar o evento e por um desfalque inesperado na grade de palestrantes foi logo convocado para fechar o evento com chave de ouro. Foto final para registrar digitalmente o que nunca sairá das nossas memórias. 1, 2, 3, mais Rock 'n' Roll. Já sem tempo, a banda era muito boa e quebrou tudo no palco tocando o dia inteiro.

O sentimento de dever cumprido logo tomou o ambiente. O formato foi inovador, ousado e funcionou muito bem. Júlio e Ítalo com ajuda das suas esposas fizeram um evento impecável. Cuidaram de cada detalhe. Organizaram inclusive um pós evento para apresentar a cultura da cidade para nós gringos. Teve direito até a tutorial de como comer caranguejada na base da martelada. Sem esquecer da melhor tapioca do nordeste acompanhada de sucos que desconhecíamos.

Se depender destes caras, do carinho dos patrocinadores e de todos os envolvidos, este evento ainda vai muito longe. É muito difícil reunir amizade, empenho e trabalho bem feito em um único lugar. O Front in Aracaju conseguiu e a comunidade do nordeste pode ter certeza que o evento está em ótimas mãos. Dois embarques e dois pousos. Porto Alegre.

*O uso da palavra sensacional teve que ser limitada neste texto por ter sido desgastada e sofrido inflação na ocasião do evento.