Jean Carlo Emer

Dicas para evoluir um front-end legado

Com a evolução das plataformas computacionais, os requisitos que as aplicações para a Internet devem atender têm se tornado mais e mais complexos. Em conformidade a isto, a disciplina de front-end é a que mais tem sofrido mudanças na sua gama de técnicas e práticas. A lista de novos frameworks, bibliotecas e modos de escrita de código de maneira geral cresce a cada dia.

Este artigo é focado em dicas gerais de como aplicar gradativamente as mais adequadas técnicas e práticas para modernizar o front-end de aplicações legadas.

Estude o projeto

O projeto precisa ser estudado a fundo para que suas principais fraquezas sejam descobertas. Alto acoplamento, falta de organização, duplicação e código mal escrito (ou exclusivo para atender navegadores bem antigos) serão problemas facilmente encontrados em projetos legados.

Procure seguir os principais fluxos de navegação e compreender bem o projeto antes de aplicar qualquer mudança. Estudar bibliotecas e demais dependências é também importante nesta etapa.

Testes

Uma suíte de testes é essencial para evoluir código legado. Caso seu projeto não possua nenhum tipo de teste, os funcionais são uma boa pedida para começar. Cubra ao máximo com testes uma funcionalidade antes de começar a mexer em seu código. Apenas assim há uma garantia (mas nunca de 100%) de que você não irá quebrar nada.

Dependências

Evoluir a versão das dependências de um projeto pode nem sempre ser uma tarefa fácil. Apesar disto, pode trazer muitos benefícios de perfomance e correção de bugs. Investigue quais as mudanças nas versões das dependências que irá evoluir. Mudar a versão da jQuery, por exemplo, não é uma boa ideia se sua aplicação não possui uma cobertura adequada de testes.

Separe o código em módulos

O mais comum dos problemas de um código CSS e JavaScript legado é a falta de separation of concerns. São várias as maneiras de modularizar seu código, mas a simples tarefa de dividir o código em diferentes arquivos é um ótimo começo. Durante este trabalho, será fácil identificar duplicações e criar novas abstrações.

Ferramentas como o Asset Pipeline do Rails e gerenciadores de tarefas como Gulp e Grunt são essenciais para concatenar arquivos e executar tarefas de pré e pós processamento. Adotar e ou melhor configurar uma destas ferramentas para o projeto será o primeiro passo desta etapa.

Pare de referenciar ids do HTML

Os ids servem como alvos para âncoras e portanto não podem ser duplicadas em um documento. Referenciar ids no CSS quebra completamente qualquer chance de reuso de código. Altere todos os seletores do CSS que referenciam ids para utilizarem classes.

As mudanças no seu JavaScript devem ser ainda mais drásticas. Evite usar ids ou classes (que servem para estilização) no seu código JavaScript. Os data attributes são ótimos para adicionar comportamento e dar acesso ao DOM.

Implemente um sistema de escrita de CSS

Apesar de não ser um assunto tão novo, a maioria dos projetos legados não segue nenhum tipo de sistema de escrita de CSS. Além disto, seletores muito generalistas e os odiados !important podem ser ervas daninhas que você terá que se livrar.

Há um tempo escrevi um artigo sobre os sistemas de escrita de CSS mais populares. A dica final de escrita de código apresentada no artigo pode servir de inspiração.

Não abandone os padrões do HTML

Muitos frameworks e bibliotecas modernas de front-end pegam a responsabilidade de redefinir o fluxo da aplicação. E isto não é uma má ideia. Porém, é bastante difícil evoluir um código legado para utilizar AngularJS, por exemplo. Neste ponto, as dicas do artigo que escrevi sobre como atribuir comportamento a componentes devem ajudar.

Em resumo, aplicar alguns padrões simples e bibliotecas como o Backbone.js são uma melhor estratégia. Apenas considere utilizar um framework quando seu código estiver em um estado mais maduro (e ainda assim, pense muito bem a respeito). Receber um HTML pronto do servidor e enviar dados utilizando formulários nunca será uma má ideia. Alguns frameworks privam você disto.

Componentes

Reconhecer quais componentes fazem parte do projeto e entender quais seus padrões visuais é uma tarefa árdua. O trabalho aqui é relacionar HTML, CSS, JS e demais recursos em uma única unidade.

Esta etapa poderá exigir que você inclua novas bibliotecas e ferramental de build para o projeto. Não se preocupe, você já conhecerá o suficiente do projeto para fazer estas escolhas de forma acertada.


Evoluir projetos legados exige um plano de ação bem definido. Ao contrário do senso comum, sair reescrevendo tudo ou criar um projeto novo quase sempre é uma má ideia. O ideal é estabelecer pequenas interações. Lembre-se de documentar e compartilhar seu plano de ação a medida que seu domínio sobre o projeto for aumentando.

Se cada vez você deixar um pouco melhor que antes, nunca vai degenerar - Juan Ibiapina.


Ao mesmo tempo, não se preocupe, algumas vezes etapas intermediárias deixarão o código mais verboso e até mais confuso. Foque no resultado final, umas escoras e tapumes poderão ser necessários para fazer sua obra.